Que estamos a fazer aos nossos filhos ?

Partilho tal como recebi por email...Cada um tirará as ilações que considerar adequadas.
Não comento.... Mas, desafio os meus leitores a comentar...e, então, também comentarei.

"Um amigo que muito prezo, mandou-me hoje isto que se segue:

Subject: NO PASSADO FIM DE SEMANA ASSISTI.......DM

Meus amigos

À guisa de reflexão, quem quiser e tiver a bondade de ler, aqui vão algumas linhas sobre um assunto que me angustia…
No passado fim de semana assisti á seguinte cena:
Numa pastelaria ( até posso dizer que foi no El Corte Inglês) aproximaram-se do balcão um jovem casal e uma filha que teria aproximadamente 7/8 anos. Eu estava sentado ao balcão e assisti a isto:
Os pais fizeram o pedido do que desejavam comer e beber num minuto e passaram 5 ou 6 á espera que o pirralho decidisse o que queria porque, de cada vez que escolhia uma coisa e o pai dizia á empregada o que queria ela interrompia de imediato e informava o progenitor que afinal não era aquilo que ela queria mas sim, e dizia outro produto qualquer…passaram nisto um tempo infindável até que a criança lá decidiu comer e beber o que muito bem entendeu. Mas, não satisfeita com esta atitude, começou a questionar os pais, num tom tão alto que eu e todos os que estávamos ali perto tínhamos necessariamente de ouvir o que ela dizia. E dizia que não havia direito de o pai ter comprado uns ténis e uma fita para ele e a mãe uns ténis e uma fita para ela e para ela própria, filha, só lhe tinham comprado uns ténis e um fato de treino e que eram uns egoístas porque tinham comprado para eles e não lhe tinham comprado um determinado jogo que ela queria!!! A minha alma estava parva a ouvir este arrazoado eis se não quando os pais, imagine-se !, começaram , não a explicar o porquê e não terem comprado o referido jogo, mas, pasme-se!, a justificarem-se perante uma catraia de 7/ 8 anos. A justificarem-se!!! Claro que ela não queria ouvir qualquer tipo de justificação pois o que ela queria mesmo era o jogo. De tal modo que, 10 ou 15 minutos depois o progenitor determinou : Tá bem, só para não te ouvir mais vamos lá comprar o jogo…
E lá foram , ela cantando e rindo e eles, os pais, possivelmente chorando e gemendo.
Que estamos a fazer aos nossos filhos ? ( para nós, aos nossos netos). Que valores lhes estamos a transmitir ?
Recordo-me de em criança comer á mesa com os meus pais e só me levantar quando meu pai o fazia. Depois de terminada a refeição meus pais falavam da vida, da vida real, das coisas boas e das dificuldades. E falavam para nós, minha irmã e eu, ouvirmos e interiorizarmos que a vida não era fácil. NUNCA os meus pais nos esconderam as agruras da vida e por isso mesmo, eu e de certeza vós também, crescemos com os valores inerentes a essa vivência. As hoje os pais escondem dos filhos as dificuldades. Até parece que é vergonha não ser rico !! Vergonha é roubar. As crianças fazem birra e obtêm o que querem. Birras?? Não se consegue educar um pirralho de 7/8 anos? Vergonha das atitudes que a criança toma em público ? Pois eduque-se a criança no sentido de perceber que ela criança é que deve ter vergonha.
Penso que já vos contei esta história, mas arrisco a repetição se for o caso:
Numa determinada cidade alemã uma criança de 8 anos subiu a escada que estava num corredor de um supermercado, para fazerem a reposição de produtos e lá de cima começou a fazer birras e a dizer que se alguém tentasse subir deitava tudo abaixo. Veio a empregada, os pais, o gerente, os clientes e ele sempre num enorme berreiro. Faziam-lhe promessas, que lhe davam isto e aquilo mas, nada. A TV local , naturalmente apareceu a fazer um directo e logo começou a especulação: a criança deve ser objecto de maus tratos, de violência, sabe-se lá de que tipo…enfim, jornalismo sensacionalista. Chamaram um pedo psiquiatra que, chegado ao local começou a subi a escada para falar com a criança que continuava a gritar dizendo que atirava tudo ao chão, etc, etc…chegado ao topo da escada o pedo psiquiatra disse algumas palavras ao ouvido da criança que de imediato começou a descer a escada. Já no chão os jornalistas perguntaram ao pedo psiquiatra: o que disse á criança para ela descer tão depressa?? Resposta pronta : disse-lhe : ou desces já ou dou-te um par de estalos….

Um abraço
DM "

Comentários

Mensagens populares deste blogue

CADERNO DE DUAS LINHAS

O SOBREIRO

LÍDERES E LIDERADOS