ERGO-ME

Publicado no meu Blog CAMINHOS & LABIRINTOS  em 29.08.2013

Ergo-me, assim, num grito
De indignação, revolta, raiva e tristeza.
Os meu ramos, despidos de folhas,
O meu tronco, cinzento e triste,
São o símbolo e a imagem
De um Portugal que arde,
Num braseiro Infernal.

São belas as labaredas para os criminosos que ateiam fogos?
São tão belas quanto destruídoras
Da vida, do oxigénio, da água, da riqueza e firmeza dos solos,
Da diversidade das espécies, do sustento dos homens.

Florestas são fonte de Vida,
De equilíbrio ambiental.
Árvores são seres Vivos Imponentes, Generosos e Belos.

Ergo a minha voz num lamento de impotência;
Num uivo de dor;
Num grito de revolta..
Contorço-me aturdida,
Mas viva, ainda.

Eu, Mulher Árvore,
Consumo-me, agora, em chamas
De tristeza, impotência, raiva e dor,
Vendo a minha Floresta amada
Ser destruída por mãos criminosas, negligentes ou indiferentes.
 
Floresta é Verde, é Frescura, é Água, é Oxigénio.
Floresta é VIDA.
Consumir-me-ei, num braseiro interior,
Enquanto o calor, que tanto amo,
Der mais vida aos fogos criminosos..

Resistirei...Envolta em fumo...Em cinza...
Chorando e tossindo de intoxicação e tristeza.
Em Luto pelas Vidas perdidas, pela Natureza, pelos Animais,
Pelo meu País.

As árvores, minhas irmãs, resistirão.
Pois, mais forte, que a estupidez e maldade humana,
É a Sabedoria e Força da Natureza.

 



Só neste mês de Agosto, vítimas dos incêndios florestais, já morreram, em Portugal, (um país com apenas 92 0903 km²)   cinco Soldados da Paz - Bombeiros. Três homens e duas mulheres, três na casa dos vinte anos e dois na dos quarenta.
A média diária de fogos ativos, novos incêndios e reacendimentos é assustadora.
A maioria destes fogos é de origem criminosa, iniciando-se uma grande parte deles depois da meia-noite e com mais do que uma frente, o que manifesta a ausência de causas naturais para a ignição dos mesmos.
Negligências, terras não desmatadas, má ordenação do povoamento florestal, desertificação dos campos, etc., originam e agigantam estes incêndios, mas, acima de tudo, são as mãos criminosas, de umas largas dezenas de incendiários, que causam esta devastação, esta guerra contra o fogo.
A lei portuguesa é branda e, muitas vezes, ineficaz. 
Estes criminosos são identificados e detidos pelas polícias,  são apresentadas as provas da sua culpabilidade e levados a tribunal, para, no final, a maioria sair em liberdade ou ficar detido com uma pena ligeira, como se as suas ações, em vez de serem um crime contra a humanidade, a natureza e o país, fossem apenas inconsequentes infrações menores.
Serra do Caramulo - Antes

Serra do Caramulo - Depois

Entre 2001 e 2012, registaram-se no País 61.070 incêndios. Um pequeno, grande, País que alguns parecem querer reduzir a cinzas.

Ao longo da minha vida, quando me sinto desiludida e amargurada com a maldade humana, animo-me, a mim própria, dizendo, "Ah, mas existem os Bombeiros, especialmente os Bombeiros Voluntários" - os Bombeiros Portugueses são, na sua grande maioria, Bombeiros Voluntários, os profissionais, ou sapadores, existem, praticamente, só nas grandes cidades, não que por isso o seu trabalho seja menos meritório ou abnegado - Se existem Bombeiros Voluntários que, Corajosa e Generosamente, arriscam a sua vida em prole de outros homens, dos animais e da natureza, então a Humanidade tem salvação, pois tem um lado muito bom.
Hoje, no meio da tristeza, raiva e revolta que sinto, rendo-me mais uma vez à evidência de que os Bombeiros me fazem acreditar que o Homem tem algo de bom dentro si, tanto aqueles que continuam na sua Guerra contra as chamas, como, acima de tudo, aqueles que morrem no meio delas.




Comentários

Mensagens populares deste blogue

CADERNO DE DUAS LINHAS

O SOBREIRO

LÍDERES E LIDERADOS